A Floresta das Araucárias é uma das formações florestais do bioma Mata Atlântica. Originalmente essa floresta se espalhava por cerca de 200.000 quilômetros quadrados dos estados do Sul e Sudeste do Brasil, principalmente nos planaltos e regiões mais frias. Sua ocorrência primitiva, porém, diverge bastante da atual, pois já foram encontrados fósseis de pinheiro até no Nordeste brasileiro. Hoje está em perigo crítico de extinção, restando menos de 3% de sua área original e dentre seus principais dispersores estão: a cutia, a gralha e o papagaio-do-peito-roxo, que também se acham ameaçados.

O Pinheiro do Paraná, ou pinheiro brasileiro  (Araucaria angustifolia), é nativo do Brasil e se originou no início do período Jurássico, há 200 milhões de anos. Chega a viver até 700 anos, alcançando diâmetro de dois metros e altura de até 50 metros. Durante seu crescimento passa pelas mais variadas formas: quando pequeno o pinheirinho parece um candelabro, à medida que cresce assume a forma de um cone e já no auge de sua maturidade, assemelha-se a uma taça e é o conjunto de taças das copas dos pinheiros adultos, que confere à Floresta de Araucárias toda sua beleza e imponência.

Seu fruto - o pinhão, garante alimento para os animais e os povos desde tempos imemoriais e  na medicina popular, sempre se utilizou o pinhão para alívio de azia, anemia e debilidade do organismo. Suas folhas cozidas são usadas no combate à anemia e tumores provocados por distúrbios linfáticos. A infusão da casca da árvore mergulhada em álcool é empregada para tratar cobreiro, reumatismo, varizes e distensões musculares.

Fonte: Wikipédia e Coisas da Roça (coisasdaroça.com)

Rua José Loureiro, 603 - Edificio Park Avenue - Centro - Curitiba / Paraná / Brasil

© 2018 por Metamorphösis – Arte e Movimento. Orgulhosamente criado por Wix.com